News

Em Boa Vista, ação lúdica diverte o público venezuelano

12 Março 2019
A atividade foi desenvolvida pelo UNFPA em parceria com a Federação Internacional das Associações dos Estudantes de Medicina e UNICEF (Foto: UNFPA Brasil/Thais Rodrigues)

Venezuelanos e venezuelanas do Posto de Triagem (PTRIG) de Boa Vista (RR), foram surpreendidos por 13 voluntários vestidos de palhaços que cantavam e dançavam, entretendo as pessoas que chegavam para os atendimentos básicos. A ação foi realizada, em 1º de março, pelo Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) em parceria com a Federação Internacional das Associações dos Estudantes de Medicina (IFMSA) de Roraima.

A organização estudantil IFMSA, vinculada a Universidade Federal de Roraima, coordena o Projeto SensibilizArte, que levou o seu caráter artístico para um público de mais de 200 pessoas. O projeto, que já existe desde 2013, teve como foco a humanização e o divertimento das pessoas presentes. 

Projeto SensibilizArte em Boa Vista (RR)

No PTRIG a ação chamou a atenção de todos que trabalham no local e também, das pessoas que chegam ao Brasil em busca de uma outra vida. Para Michelle Franco, coordenadora do projeto SensibilizArte, a equipe vivenciou uma experiência única no PTRIG. “Nos solidarizamos com a situação e ficamos muito contentes por lhes proporcionar um motivo para sorrir e se alegrar mesmo em meio a tantas dificuldades”, relatou.

A ação consistiu em atividades lúdicas que incluíram contação de histórias, música e piadas por quase todos as ambientes do PTRIG.  No Espaço Amigo da Criança do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) foram realizadas atividades específicas com as crianças, como criação de animais feitos com balão e distribuição de brinquedos.

O UNFPA no atendimento a emergência humanitária em Roraima

O Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) atua na informação prévia ao embarque, garantindo que as pessoas possam tomar decisões informadas sobre a mudança para outras partes do país. Também trabalha na proteção contra a violência de gênero e pelo direito à saúde sexual e reprodutiva, em especial de mulheres e meninas, auxiliando governos locais a se prepararem e absorverem essa população nos serviços e rede de proteção, além da disseminação de informações sobre os direitos de mulheres, meninas e população LGBTI no Brasil.