News

As vozes e faces da Roda da Juventudes Já!

20 Novembro 2020

Em quatro semanas de atividades intensas o UNFPA impulsionou o debate sobre violências de gênero entre as juventudes de todas as regiões do país

A Roda das Juventudes Já! foi uma ação pioneira no Brasil que fortaleceu a participação política e reuniu trinta jovens lideranças com diferentes vozes e identidades. A realização foi uma parceria entre UNFPA, Oxfam Brasil, UNICEF, IYD Brasil, Plan Internacional, Terre des Hommes e Coletivo Não é Não. E resultou na criação de propostas para o enfrentamento das violências de gênero, duas propostas selecionadas receberão acompanhamento e investimento-semente para sua aplicação efetiva. 

A atividade da Roda das Juventudes Já! é uma ferramenta que acompanha a ação regional “165 milhões de razões - Um chamado ao investimento em adolescentes e jovens na América Latina e no Caribe”. A iniciativa visa o fortalecimento, reconhecimento e participação política de jovens lideranças. Prevendo um desenvolvimento sustentável na região e uma interação multissetorial em torno da importância de investir na adolescência e juventude. 

“Através das ações da Roda das Juventudes Já! percebemos uma qualidade das relações, e principalmente em crer no mundo melhor que essas juventudes estão vivendo, construindo e se baseando na cultura do cuidado. E o nosso trabalho é fortalecer essas juventudes para que eles possam nos apontar outros caminhos viáveis. A vida é movimento, e a roda continua para além desse evento”, avaliou Gabriela Monteiro, oficial de Assuntos das Juventudes do UNFPA. 

Na região da América Latina e Caribe estima-se que 165 milhões são pessoas entre 10 e 24 anos de idade, o que significa que uma em cada quatro pessoas é jovem. O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) estima que em 2020 a população brasileira chegue em 211,8 milhões de habitantes, desses 49 milhões são pessoas jovens e adolescentes.
 

Quem fez/faz a Roda girar

A Roda das Juventudes Já! vibrou em muitos movimentos que se espelharam na diversidade de adolescentes e pessoas jovens entre 15 e 25 anos, e Nádya Carolline Silveira, 22 anos, foi uma delas. Moradora de Bocaiúva em Minas Gerais, foi uma das participantes que ajudou a roda girar buscando reconexão com pautas e com um Brasil que ela ainda não acessava. 

Nádya trouxe para Roda das Juventudes Já! a sua vivência de analista internacional, atuante em diretórios acadêmicos, e da área de educação, mas principalmente a sua visão desde o interior do país que busca o diálogo. “Uma coisa que eu levo é a necessidade do diálogo, principalmente envolvendo os pequenos centros e periferias, tornando o conhecimento acessível para que a empatia não seja somente uma palavra marcada no muro”, afirmou. 

Marcar para além dos muros e ressignificar o seu território são também objetivos do carioca Rudson Amorim, 21 anos. Como morador da zona oeste do Rio de Janeiro busca traduzir o seu lugar com sua atuação em lutas das juventudes, negritudes, e garantia de direitos da população LGBTQI+. 

Para Rudson o debate sobre as violências de gênero é urgente e envolve a sua própria história. “Fui criado por mulheres pretas, aprendi muito sobre o respeito e a valorização da mulher. E quando comecei a me envolver na militância, conhecendo espaços coordenados por mulheres pretas e periféricas, compreendi que a pauta da violência de gênero é urgente. Precisamos debater e combater essa violência, porque dela se resulta a LGBTfobia, masculinidades tóxicas, agressões físicas, e outras violências”, comentou Rudson que é coordenador Instituto de Formação Humana e Educação Popular (IFHEP) que oferta pré-vestibular popular, saraus e cineclube para valorização da cultura popular e periférica. 

“Precisamos falar cada vez mais sobre violências de gênero para romper a barreira do silêncio, e para que esse silêncio não se torne outra violência”, é a opinião de Dayane Cristina de Araújo Veras, 23 anos, moradora de Parnaíba no Piauí. Mesclar juventude e enfrentamento das violências de gênero é algo que Dayane conhece bem por sua atuação no coletivo Flor de Xanana, mas a Roda das Juventudes Já! trouxe meios para fortalecer as suas atividades. “Ter acesso à métodos de pesquisa, de formular ideias e isso se tornar um projeto efetivo é entender a juventude como o agora, como parte da solução para o nosso presente. Colocar a juventude para pensar as soluções que nós queríamos foi sensacional e uma experiência que levarei para vida toda”, declarou.  

O recifense Jefferson da Silva Vitorino, 25 anos, é uma “cria” da atuação e formação de organizações não governamentais. E agora é ele que oferece formação e conscientização dentro do grupo Fábrica Fazendo Arte. “Nosso objetivo real é poder tratar de temáticas e pautas no palco, e que todos se transformem em multiplicadores dos direitos humanos. Nós já denunciamos, por meio do teatro, muitos abusos e exploração sexual”, disse. 

Mas Jefferson, ao pensar sobre a sua forma de atuação, também reflete: “A gente não tem como dar conta, nem se responsabilizar o tempo todo, porque a gente também precisa de cuidado”. Voz que teve eco na percepção da organização da Roda, que ao abordar violências de gêneros notou um forte registro simbólico e relatos íntimos em alguns dos/das participantes. 

Então, se criou o espaço da Roda de Acolhimento com a possibilidade de acompanhamento de profissional de psicologia para apoio online as/aos adolescentes e jovens participantes. “O apoio psicológico se faz cada vez mais necessário para orientação e acompanhamento das/dos jovens participantes, acolhendo suas histórias e sentimentos, muitas vezes tão marcantes”, relatou Gabriela Monteiro, oficial de Assuntos das Juventudes do UNFPA. 

A participação de pessoas jovens e adolescentes durante as capacitações da Roda das Juventudes Já! também envolve a garantia de implementação do Programa de Ação da Conferência Internacional sobre População e Desenvolvimento (CIPD) e da Agenda 2030 - Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.

Se você ficou curiosa e curioso para saber o que rolou durante as semanas de capacitação e interações da Roda das Juventudes Já! confira nossa playlist: https://www.youtube.com/watch?v=3kbgqpyZhAo&list=PLJpZP-2V7mJATqflHhpQ7y...

 

______________________________

 

VOCÊ JÁ OUVIU O PODCAST "FALA, UNFPA"?

O Fundo de População das Nações Unidas no Brasil lançou o podcast "Fala, UNFPA" que aborda temas como saúde sexual e reprodutiva, equidade de gênero, raça e etnia, população e desenvolvimento, juventude, cooperação entre países do hemisfério sul e assistência humanitária. Tudo isso, claro, a partir de uma perspectiva de direitos humanos. Saiba mais clicando aqui.