News

Em São Paulo, UNFPA compartilha experiências sobre migrações e direitos humanos

9 Fevereiro 2019
Agências da ONU participaram de mesa de debate sobre migrações e direitos humanos (Foto: UNFPA Brasil/Paola Bello)

O Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) esteve entre os apoiadores de uma série de atividades realizadas em São Paulo nesta sexta, 8, que teve como tema as migrações de pessoas venezuelanas para o Brasil. As atividades foram desenvolvidas pelo Observatório das Migrações de São Paulo e o Núcleo de Estudos de População "Elza Berquó" (Nepo), da Unicamp. Nesta sexta, no Museu da Imigração, foi feito lançamento do livro Migrações Venezuelanas, foi inaugurada exposição fotográfica La Jornada e promovido o Seminário do Observatório das Migrações.

A assessora para Assuntos Humanitários do UNFPA, Irina Bacci, falou sobre os trabalhos desenvolvidos pelo UNFPA em Roraima no painel Migrações Internacional e Direitos Humanos. Também participaram da mesa Gustavo Accioly, do Ministério Público do Trabalho, João Freitas de Castro Chaves, da Defensoria Pública da União, Lívia dos Santos Ferreira, Auditora Fiscal do Trabalho, Maria Beatriz Bonna Nogueira, da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), Guilherme Otero, da Organização Internacional para as Migrações (OIM), Leonardo Cavalcanti, professor da Universidade de Brasília/OBMigra , e Tadeu de Oliveira, do IBGE/OBMigra. O painel foi coordenado por Catarina von Zuben, da Coordenadoria Nacional de Erradicação do Trabalho Escravo do Ministério Público do Trabalho.

Segundo a assessora Irina Bacci, o trabalho realizado pelo UNFPA em Roraima está baseado em três frentes: violência baseado em gênero, saúde sexual e reprodutiva, e direitos humanos. Dentro dessas áreas, são trabalhadas resiliência comunitária, comunicação e informação, articulação política e fortalecimento das capacidades institucionais, além de gerenciamento e manejo de casos. Atuando na resposta humanitária em Roraima desde 2015, o UNFPA é responsável por promover a saúde sexual e reprodutiva, além de coordenar as intervenções da ONU em situações como violência sexual e violência de gênero. 

“O UNFPA tem trabalhado em Roraima na resposta humanitária, atendendo venezuelanos e venezuelanas que chegam ao Brasil. Em 2018, foram cerca de 14 mil pessoas atendidas em diferentes ações do UNFPA. É fundamental que as organizações e as agências das Nações Unidas no Brasil trabalhem conjuntamente nessa ação para atender de maneira digna e humanitária essas milhares de pessoas que chegam ao Brasil em busca de novas oportunidades”, destacou a assessora do UNFPA.

Exposição fotográfica

A exposição "La Jornada – A resiliência do povo venezuelano em busca de refúgio no Brasil" foi inaugurada no Museu da Imigração, em São Paulo, nesta sexta. As imagens são o resultado do registro fotográfico de famílias venezuelanas refugiadas nas cidades de Pacaraima e Boa Vista, no estado de Roraima, em setembro de 2018. Confira o teaser:

Livro Migrações Venezuelanas

Publicada com o apoio do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), a coletânea Migrações Venezuelanas reúne 55 textos sobre os mais recentes deslocamentos de venezuelanos com destino ao Brasil e outros países da América Latina. A obra foi desenvolvida por pesquisadores do Núcleo de Estudos de População Elza Berquó, da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP).

O volume recebeu contribuições de 92 especialistas e instituições. Um dos colaboradores é o representante do UNFPA no Brasil, Jaime Nadal, autor de capítulo em que defende que a migração, embora seja vista muitas vezes como um fenômeno negativo, está associada ao desenvolvimento dos países de diferentes formas. O dirigente mostra como a globalização ampliou de maneira significativa a mobilidade do trabalho no mundo.

Baixe aqui a obra completa