News

UNFPA apresenta trabalho realizado em Roraima para deputada Shéridan Oliveira

7 Maio 2019
Representante do Fundo de População das Nações Unidas no Brasil e a deputada Shéridan Oliveira (PSDB-RR) se reuniram na Casa da ONU em Brasília (Foto: UNFPA Brasil/Fabiane Guimarães)

O Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) recebeu nesta segunda-feira, 6, a deputada Shéridan Oliveira (PSDB-RR), que teve oportunidade de conhecer sobre o trabalho de assistência humanitária desenvolvido em Roraima. Natural de Boa Vista, Shéridan se informou sobre os programas de atuação junto às pessoas migrantes e refugiadas venezuelanas. 

Presente no Estado desde agosto de 2017, o Fundo de População participa da operação de acolhimento aos recém-chegados, atuando na proteção contra a violência de gênero, exploração, abuso sexual e violações de direitos humanos, e garantindo a disponibilização de insumos para atender demandas emergenciais em saúde sexual e reprodutiva. À deputada Shéridan, também foram apresentados os principais pontos do mandato do UNFPA no Brasil, como a busca por garantir que toda gravidez seja desejada e que todos os partos sejam seguros.


Shéridan Oliveira (PSDB-RR) conheceu a atuação do UNFPA na assistência às pessoas migrantes venezuelanas (Foto: UNFPA Brasil/Fabiane Guimarães)

O representante do Fundo de População no Brasil, Jaime Nadal, recebeu a parlamentar e reforçou a postura de colaboração com o governo local na condução de políticas públicas e de saúde. “Nós buscamos o fortalecimento do Estado para entregar bons serviços públicos para a população, abordando boas práticas internacionais, gerando informações para uma política pública de qualidade. Nós gostaríamos que, a partir desse contexto de migração, as boas práticas sejam disseminadas e que o estado de Roraima tenha suas políticas aperfeiçoadas e ampliadas, para atender a população local e também a população migrante e refugiada. 

A deputada Shéridan agradeceu a recepção e partilhou sua identificação pessoal com o mandato do UNFPA. “Fiquei grata com a conversa e me coloco à disposição do Fundo de População das Nações Unidas. Quero poder me dedicar mais a essas frentes. É minha obrigação. Fui mãe na adolescência e sei perfeitamente da importância de abordar esse tema”, destacou.