News

Lideranças brasileiras e estrangeiras discutem o direito de jovens à saúde sexual e reprodutiva

16 Outubro 2013

Seminário Internacional teve início em Brasília nesta quarta-feira com presença de representantes de 13 países

Brasília sedia o Seminário Internacional “Saúde, Adolescência e Juventude: promovendo a equidade e construindo habilidades para a vida”, que acontece entre os dias 16 a 18 de outubro. Nesta quarta-feira pela manhã, o ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, presente à mesa de abertura, falou sobre a importância do tema para o país e dos esforços do governo federal, por meio das ações do Ministério da Saúde, para que jovens e adolescentes recebam atendimento e orientação adequadas para a vida sexual e reprodutiva planejada. 

Estiveram presentes também na abertura do Seminário, o ministro da Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República, Marcelo Neri; o secretário de Atenção à Saúde, do Ministério da Saúde, Helvécio Magalhães, a secretária nacional da Secretaria Nacional de Juventude (SNJ), Severine Macedo, o chefe da divisão de temas sociais do Ministério das Relações Exteriores, Carlos Cuenca; o coordenador da Agenda de Desenvolvimento Pós-2015 do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) e representando o Diretor Executivo da instituição, Diego Palacios; e a representante do Governo do Distrito Federal (GDF), Rosalina Aratani.

O encontro tem o objetivo de promover a troca de conhecimentos e boas práticas entre especialistas, gestores, profissionais e lideranças juvenis sobre a importância da saúde, em especial a saúde sexual e reprodutiva, para que adolescentes e jovens tenham seus direitos assegurados e alcancem seu pleno potencial. Como parte do evento, houve no dia 15 de outubro uma visita guiada para participantes de outros países aos serviços públicos de saúde do GDF voltados para esse segmento da população. 
Para Gilberto Carvalho, a parceria com a ONU tem sido fundamental para tornar situações mais democráticas no país. “Avançamos muito, mas há muito ainda a avançar. Importante que se faça agora com mais ampla participação dos jovens, para que se supere as limitações e problemas ainda existentes”, pontuou Carvalho.

Para Helvécio Magalhães, as políticas e programas de governo federal tem mudado a realidade de vários setores da população. “Temos feito um grande esforço para avançar nos direitos humanos de adolescentes e jovens pois é necessário garantir o direito à saúde deste grupo. No conjunto de desafios, precisamos concretizar o acesso a direitos e este evento é primordial na troca experiências entre países”, disse. “Quando o governo investe em educação, está promovendo essa possibilidade”, finalizou o secretário.

Diego Palacios ressaltou que há questões de especial atenção que serão tratadas no seminário. “Estamos também aqui para discutir como empoderar jovens, para que consigam tomar decisões e realizar plenamente seu potencial. Acima de tudo, estamos aqui porque compreendemos que ao incluir os jovens como participantes plenos e ativos do desenvolvimento, temos aqui a única forma de garantir o desenvolvimento sustentável”, disse.

O evento é organizado pelo Ministério da Saúde, numa iniciativa da Coordenação de Saúde de Adolescentes e Jovens (ASAJ) do Departamento de Ações Programáticas Estratégicas (DAPES) da Secretaria de Atenção à Saúde (SAS); Secretaria Nacional de Juventude (SNJ); e Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA). O seminário conta ainda com o apoio do GDF (Secretaria de Saúde, Secretaria de Cultura e Fundo de Apoio à Cultura). Mobiliza também várias áreas do Ministério da Saúde e entidades parceiras, como a Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (SEPPIR), Secretaria de Políticas para Mulheres (SPM), Secretaria de Direitos Humanos (SDH), Ministério da Educação (MEC), Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS), Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC) e Universidade Católica de Brasília, além de 11 redes de organizações da sociedade civil que trabalham com temas de juventude.

O Seminário Internacional terá a participação de 250 convidados de 13 países, além do Brasil, e será transmitido ao vivo pela Internet. Com o mote “garantindo direitos para que adolescentes e jovens escolham a sua hora”, o evento vai abordar a construção de habilidades entre adolescentes e jovens para a tomada de decisões voluntárias no exercício da sexualidade e vida reprodutiva, com foco na gravidez não planejada e na prevenção de doenças sexualmente transmissíveis e Aids, entre outros temas. Os 13 países convidados para participar do evento são Argentina, Colômbia, Cuba, El Salvador, Equador, Etiópia, Guiana, Moçambique, Nigéria, Peru, Tailândia, Uruguai e Venezuela.

A programação contará com 2 conferências e 11 sessões de trabalho, além de espaços para encontros estratégicos entre os participantes governamentais, organizações, redes e lideranças juvenis do Brasil e do exterior. O evento será transmitido via internet pelo site do Participatório (http://participatorio.juventude.gov.br/).
Confira a programação em:
http://portal.saude.gov.br/portal/arquivos/pdf/programacao_seminario.pdf 
Informações para a imprensa:
Vanessa Campos
Gabriela Borelli
(61) 8286.2938 / 9186.6584