Você está aqui

Curso fortalece diálogo e mobilização entre lideranças da enfermagem obstétrica e obstetrícia no Brasil

De junho a julho, 50 lideranças da enfermagem obstétrica e obstetrícia de todo o Brasil se reuniram em um espaço inédito de diálogo e troca de experiências e ideias. A Jornada Formativa, realizada em parceria com a Associação Brasileira de Obstetrizes e Enfermeiros Obstétricos (ABENFO Nacional), teve como objetivo promover uma maior articulação entre lideranças da área, abordando temas como incidência e diálogo político, ética, direitos humanos e saúde sexual e reprodutiva, além de realizar um chamado a intervenções coletivas nos espaços de atuação das/os profissionais. Como resultado, segundo as/os participantes, ficou também o estreitamento de laços e a possibilidade de fortalecimento de redes e de uma maior organização política.

O curso integra as atividades do Projeto Enlace, uma iniciativa do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) e da Johnson & Johnson Foundation para reconhecer e fortalecer as enfermeiras e enfermeiros obstétricos e as obstetrizes. “A Jornada foi um excelente espaço de formação e informação. Um diálogo entre profissionais da enfermagem obstétrica que vivenciam realidades tão distintas em alguns aspectos e similares em outros, considerando o imenso território do Brasil”, avaliou a enfermeira obstétrica Juliana do Carmo, que atua no Hospital das Clínicas UFMG e é presidente da ABENFO-MG . “Os objetivos do curso de valorizar a enfermagem obstétrica e defender a saúde sexual e reprodutiva são fundamentais para preservar a vida de inúmeras mulheres, em especial nesse momento de pandemia”, concluiu.

No primeiro encontro da jornada, as/os participantes tiveram a oportunidade de se conhecerem e trocarem experiências sobre suas atuações, em diversos territórios nacionais. No segundo, conversaram sobre os avanços e desafios que a atenção obstétrica enfrenta, considerando o cenário político. O terceiro encontro foi focado nos direitos sexuais e reprodutivos e em como garanti-los e defendê-los no dia a dia dos trabalhos. No quarto, a conversa foi sobre incidência e diálogo político. E no último, foi realizada uma oficina com foco na análise coletiva do trabalho e perspectivas de ampliação das intervenções coletivas.

O curso contou com uma equipe de coordenação e palestrantes com trajetórias de destaque nas políticas públicas de humanização da saúde e na defesa dos direitos das mulheres: Kleyde Ventura, Serafim Santos, Esther Vilela e Dário Pasche.

Para a enfermeira obstétrica do Hospital Sofia Feldman e participante da Jornada Danúbia Jardim, a abordagem focada na importância da garantia de direitos reprodutivos e das mulheres como um direito universal, com diferentes frentes e aspectos, foi o diferencial. “Na Jornada, eu percebi que, enquanto profissionais, precisamos ampliar o olhar para diferentes instâncias desses direitos, e não apenas para a assistência ao parto e nascimento. Nós devemos olhar a mulher em todo o ciclo de sua existência. Entendi que a enfermagem obstétrica precisa estar em diferentes espaços de atuação, nas comunidades, associada à defesa dos direitos das mulheres, em outros ambientes da saúde, para além da rede de atenção. Precisamos formar redes de solidariedade e fortalecimento”, afirma.

Danúbia também destacou uma maior compreensão de seu papel como enfermeira obstétrica na incidência política para fortalecimento da categoria. “O que eu mais gostei do curso foi essa possibilidade de ampliar meu olhar para a incidência política. Entender que isso não significa só estar na política, também é estar ali, mas a incidência política se faz no dia a dia, em diferentes cenários de atuação e no cotidiano, quando estamos atuando como profissionais e mobilizando as mulheres para a garantia de seus direitos”, avalia.

O Enlace  continua

Segundo a representante auxiliar do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), Júnia Quiroga, é um orgulho para o UNFPA promover a defesa e o fortalecimento de uma categoria tão importante na promoção e efetivação dos direitos sexuais e reprodutivos, desde a assistência ao parto, puerpério e também na gestação e pré-concepção. “Esperamos que o fim da Jornada seja um até logo, pois continuaremos juntos e juntas promovendo mais iniciativas neste grande Enlace pelos direitos”, afirmou. Ainda como parte do Projeto Enlace, será oferecido um Curso de Atualização em Direitos Humanos para Enfermeiras(os) Obstétricas(os) e Obstetrizes, em parceria com o IFF/Fiocruz.