News

UNFPA premia serviços de saúde do Distrito Federal com o Selo Chega Mais

15 Junho 2019
A iniciativa incentiva que unidades de saúde ofereçam serviços adequados a adolescentes (Foto: UNFPA Brasil/Thais Rodrigues)

Um serviço de saúde inclusivo, que se preocupa com as questões sexuais e reprodutivas dos e das adolescentes e que é acessível e livre de discriminação. Essas são características presentes nas três unidades e serviços de saúde do Distrito Federal premiadas pelo “Chega Mais - Selo de Qualidade de Serviços para Adolescentes”. A solenidade aconteceu nesta quinta-feira (13), no Centro de Saúde 1 - Hospital Dia, em Brasília. 

A iniciativa pioneira reconhece e incentiva que unidades de saúde ofereçam atendimento e serviços adequados para adolescentes considerando as peculiaridades dessa população. O Selo foi concedido a 19 serviços no final de 2018, pelo Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA). Agora, com apoio da Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal, Secretaria de Justiça e Cidadania do Distrito Federal e da Escola de Aperfeiçoamento do SUS (EAPSUS/FEPECS), os três mais bem avaliados recebem uma placa e um kit composto por um retroprojetor (datashow), um microfone e uma caixa de som.

O Secretário de Saúde do Distrito Federal, Osnei Okumoto, reconheceu a importância das parcerias firmadas entre as instituições e ressaltou que cuidar da saúde da juventude é fundamental para o destino do Brasil  “A gente precisa, dentro da saúde, trabalhar para que tenhamos notícias positivas sobre os serviços prestados aos adolescentes. Enquanto nós fizermos um trabalho neste sentido, estaremos caminhando para um melhor futuro da nação”, disse Okumoto. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a maior parte das gravidezes de meninas ocorre no final da adolescência. 65,9% de mães adolescentes têm entre 18 e 19 anos.


Júnia Quiroga, representante auxiliar do UNFPA no Brasil (Foto: UNFPA Brasil/Thais Rodrigues)

Para a representante auxiliar do UNFPA no Brasil, Júnia Quiroga, o grande contingente de adolescentes e jovens no mundo e, consequentemente, no Brasil, causa um grande desafio para os serviços de saúde. “Essa população precisa ser visibilizada, mas ainda não se sabe como se fazer isso. Então, quando a gente comemora o serviço que está dando certo apesar das dificuldades encontradas é um momento de muita alegria”, afirmou. 

Os três serviços de saúde mais bem avaliados pelo “Chega Mais - Selo de Qualidade de Serviços para Adolescentes” foram, em primeiro lugar, o Ambulatório de Pediatria do Hospital Dia, na Asa Sul; em segundo, a Estratégia de Saúde da Família da Unidade Básica de Saúde 8, no Gama; e em terceiro, o Programa de Prevenção e Atendimento às Pessoas em Situação de Violência (PAV) Girassol, localizado no Paranoá. Critérios de qualidade como acesso, adequação à fase do ciclo de vida, equidade na atenção, intersetorialidade, educação permanente e participação social foram observados durante as fases de avaliação.


O ambulatório de pediatria do Hospital Dia foi o primeiro colocado dos 3 serviços de saúde mais bem avaliados pelo selo "Chega Mais" (Foto:UNFPA Brasil/Thais Rodrigues)

Na mesa também estiveram presentes a coordenadora de proteção de crianças e adolescentes da Secretaria de Justiça e Cidadania, Nayara Lopes; o Diretor Executivo da Fundação de Ensino e Pesquisa em Ciências da Saúde, Marcos de Sousa Ferreira; e o membro do Comitê Consultivo de Adolescentes do Conselho dos Direitos da Criança e do Adolescentes, Daniel Fernandes. 

Com a intenção de compor uma rede de diálogos entre os serviços de saúde que participaram do processo de certificação, para troca de experiências, formações continuadas e aperfeiçoamento das ações, Após a cerimônia, aconteceu uma roda de debates sobre os desafios e as oportunidades encontradas. A validade do Selo é de dois anos, podendo ser renovada por igual período por meio de nova chamada pública. 
 

Serviços de saúde mais bem avaliados pelo “Chega Mais - Selo de Qualidade de Serviços para Adolescentes

1º lugar: Ambulatório de Pediatria do Hospital Dia (Asa Sul)
2º lugar: Estratégia de Saúde da Família da Unidade Básica de Saúde 8 (Gama)
3º lugar: Programa de Prevenção e Atendimento às Pessoas em Situação de Violência (PAV) Girassol (Paranoá)