News

Uma caminhada de muitas mulheres

14 Agosto 2019
Carla é uma personagem fictícia que retrata a trajetória de milhares de mulheres migrantes e refugiadas (Foto: reprodução)

Carla é uma jovem mulher venezuelana migrante que chegou sozinha no Brasil como consequência do deslocamento forçado e passou por diversas situações ao longo de sua trajetória, as quais são retratadas em uma animação do Fundo de População das Nações Unidas. A personagem fictícia representa uma das milhares de mulheres que sofrem diferentes tipos de violência  no seu processo de deslocamento. 

 

O primeiro vídeo, lançado em 2018, quando chegou ao Brasil, relata as condições de extrema vulnerabilidade em que a personagem viveu e as diversas violações de direitos que sofreu. Mas Carla foi acolhida pelo Fundo de População e pela Operação Acolhida para receber apoio e assistência.

 

Dessa vez, em novo vídeo, lançado na semana em que se celebra o Dia Internacional da Juventude, Carla reaparece para mostrar como conseguiu apoio e informações que permitiram que ela seja hoje uma mulher empoderada nos temas relacionados à saúde sexual, reprodutiva e direitos, violência baseada em gênero e direitos humanos no Brasil.

 

Carla é uma personagem criada a partir de depoimentos reais, de mulheres que chegaram ao Brasil em razão da migração forçada e que, por diversas razões, enfrentam a dificuldades para ter acesso a serviços básicos. 

 

Hoje, ela representa uma mudança.

 

Carla é agora uma jovem que teve o apoio para dar suporte às suas necessidades e que teve acesso a informações que conferiram autonomia dentro de seu novo percurso no Brasil. Ela se transforma agora em uma porta-voz de informações importantes que servem para orientar outras mulheres que também chegam ao Brasil em busca de novos caminhos, especialmente mulheres migrando sozinhas, e as mulheres gestantes que desconhecem como fazer o acompanhamento pré-natal no Brasil.

 

O Fundo de População da ONU em Roraima tem desenvolvido diferentes ferramentas para apoiar o processo de integração das mulheres migrantes e refugiadas no Brasil, e a imagem de Carla estará visível nos Postos de Triagem da Operação Acolhida e nos espaços amigáveis do UNFPA. O vídeo também será publicado online para todos os interessados.