News

Fundo de População da ONU reforça atendimento em saúde reprodutiva em Ilha do Marajó com doação de equipamentos para telemedicina

19 Outubro 2020
Charles Cezar Tocantins de Souza, presidente do COSEMS-PA e equipamentos para montagem de salas de telemedicina (Foto: UNFPA Brasil)

Parceria com Conselho de Secretarias Municipais de Saúde do Pará (Cosems-PA) permitirá que mais de 80 mil mulheres de Ilha do Marajó possam seguir sendo atendidas mesmo durante a pandemia de Covid-19

 

O Fundo de Populações das Nações Unidas (UNFPA) entregou nesta segunda-feira (19), às 11h horas, um conjunto de equipamento para a montagem de 6 salas de telemedicina para o atendimento de mulheres residentes em municípios de ilha do Marajó, no Pará. Entre os equipamentos estão TV, notebooks e acessórios.

Profissionais de medicina, especializados e especializadas em ginecologia e obstetrícia poderão, com os equipamentos, atender à distância cerca de 80 mil mulheres em idade fértil, dos municípios de  Afuá, Anajás, Bagre, Melgaço, Salvaterra e Santa Cruz do Arari e assim manter os serviços em saúde reprodutiva e saúde da mulher mesmo durante a pandemia de Covid-19.

A doação dos equipamentos teve um custo de US$ 5 mil dólares, acontece no escopo da parceria entre o Fundo de População das Nações Unidas e o Conselho de Secretarias Municipais de Saúde do Pará (Cosems-PA).

Como contrapartida, o Cosems contratou duas médicas e assegurou a contratação do serviço de internet banda larga para realizar as teleconsultas. A atual gestão dos municípios participantes do projeto também se comprometeram em fornecer espaço a fim de estruturar as salas de telemedicina, com mesa, cadeiras e profissionais para apoiar a ação. 

A doação é parte de um projeto maior voltado à saúde reprodutiva das mulheres das região.  

 

________________________

 

 VOCÊ JÁ OUVIU O PODCAST "FALA, UNFPA"?

O Fundo de População das Nações Unidas no Brasil lançou o podcast "Fala, UNFPA" que aborda temas como saúde sexual e reprodutiva, equidade de gênero, raça e etnia, população e desenvolvimento, juventude, cooperação entre países do hemisfério sul e assistência humanitária. Tudo isso, claro, a partir de uma perspectiva de direitos humanos. Saiba mais clicando aqui.