Você está aqui

Fundo de População da ONU e ABEP lançam publicação que analisa impactos da pandemia entre grupos em situação de maior vulnerabilidade

Em alusão ao Dia Mundial da População deste ano, celebrado em 11 de julho, o  Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) e a Associação Brasileira de Estudos Populacionais (ABEP) lançam nesta segunda-feira, 12, uma publicação que analisa o impacto da pandemia da Covid-19 entre grupos em situação de maior vulnerabilidade. Refletindo sobre as consequências da crise sanitária para os diversos grupos populacionais, a coletânea de 21 textos evidencia o acirramento das desigualdades no acesso à renda, serviços básicos e direitos.

Os artigos abrangem Pontos de Vista, Relatórios e Notas de Pesquisa . As seções de Pontos de Vista e Relatórios de Pesquisa formaram parte da série de webinários “População e Desenvolvimento em Debate”, sendo palestras editadas em texto pelos próprios autores/expositores. A publicação abrange, ainda, Notas de Pesquisa inéditas obtidas por meio de um programa conjunto de apoio a projetos de pesquisa de curto prazo sobre os efeitos da Covid-19, financiado pelo UNFPA e implementado pela ABEP no ano passado. 

 Os capítulos abordam, por exemplo, o maior número de morte pela Covid-19 entre as pessoas negras; as vulnerabilidades diversas enfrentadas pelas pessoas LGBTI neste período; o aumento da violência de gênero; os impactos para a juventude e a educação; a situação da periferia; os reflexos no mundo do trabalho e a estimativa de vida perdida por conta da pandemia; entre outros temas de máxima relevância.

“Em países com grande desigualdade, como o Brasil, a pandemia aumentou o abismo entre os diversos grupos populacionais, e os impactos do pós-pandemia serão sentidos mais fortemente entre aquelas pessoas que já estavam em situação de desvantagem. Para compreender como essas pessoas foram afetadas e quais são os fenômenos que afetam seu bem-estar, precisamos de informações e evidências, como os pontos de vista reunidos nesta publicação. Só assim será possível trabalhar pela construção de políticas públicas eficazes e soluções sensíveis, sem deixar ninguém para trás”, afirma a representante do Fundo de População das Nações Unidas, Astrid Bant.

“Este livro contribui para a reflexão de um momento muito importante da história. As vulnerabilidades e desigualdades que por vezes estavam invisíveis aos olhos do poder público foram explicitadas pela pandemia. Assim, torna-se mais relevante ainda entender as condições sociodemográficas da população no contexto da pandemia da Covid-19, pois revelá-las é também contribuir para construção de uma sociedade mais resiliente”, afirma o pesquisador e professor Ricardo Ojima, ex-presidente da ABEP que trabalhou na organização do e-book. “Novas pandemias e novos desafios ocorrerão no futuro e, sem dar visibilidade para essas desigualdades sociais, seremos novamente pegos despreparados para enfrentá-los de maneira socialmente responsável. A ABEP sempre teve papel histórico nos debates sobre população e desenvolvimento e em sintonia com o Fundo de População das Nações Unidas não poderíamos deixar de dar nossa contribuição com a reunião destes textos”, conclui.

Confira a publicação completa aqui.