News

Esperando Sofía

17 De setembro de 2019
Yianela e seu primeiro filho posam com Sofía, ainda por nascer (Yareidy Perdomo/UNFPA Brasil)

Proveniente da cidade de Tigre, no estado Anzoategui, Yianela Brizuela, uma jovem venezuelana de 18 anos, mãe de uma criança de 3 anos, cruzou a fronteira com o Brasil grávida de três meses. A principal motivação da jovem venezuelana estava na possibilidade de melhores condições para ela e sua família. 

 

Hoje, no oitavo mês de gestação, ela lembra que ao chegar ao Brasil, há cinco meses, teve o primeiro contato com Fundo de População da ONU por meio de uma sessão informativa sobre saúde sexual e reprodutiva. Na ocasião, estavam sendo discutidos temas referentes justamente ao cuidado do pré-natal e Yianela reconhece como o encontro foi importante para ela.

 

“Não me esqueço desse dia, porque aprendemos muitas coisas novas. Uma mãe pode acreditar que, por já ter tido um filho, sabe de tudo, mas me dei conta que havia muitas coisas a aprender em relação à gravidez”, explica.

 

 

Na ocasião, com o apoio do Fundo de População da ONU, Yianela e outras mulheres presentes foram referenciadas para a rede pública de saúde local, para dar início ao pré-natal em Boa Vista, onde ela e sua família permanecem.

 

O Fundo de População da ONU trabalha para dar apoio e suporte a mulheres grávidas que chegam ao Brasil com diferentes necessidades, garantindo seu direito ao acesso a serviços de saúde e atenção pré-natal no estado de Roraima, além de orientações e ações para proporcionar a informação necessária relacionada à saúde sexual e reprodutiva e à prevenção da violência baseada em gênero.

 

“As pessoas não imaginam como é importante para nós ter um apoio como este na situação em que estamos. Muitas de nós que estamos esperando ter bebês aqui não tiveram esse controle e nem todas sabem como é importante, por exemplo, tomar nossas vitaminas, ter cuidado com a postura, para que nossos filhos nasçam com saúde”, comenta Yianela Brizuela que, com o seu companheiro e filho aguardam, com muito amor, a chegada da mais nova integrante da família, Sofía. 

 

A família de Yianela Brizuela está abrigada na ocupação Kaubanoko, em Boa Vista, que recebe pessoas indígenas e não indígenas migrantes e refugiadas.