Notícia

Fundo de População da ONU participa de diálogo sobre Conferências de Cairo, Beijing e Durban

7 Abril 2021
Maria Carolina de Oliveira, Diretora de Relações Internacionais da União Nacional de Estudantes, coordenou o painel e Astrid Bant, Representante do UNFPA Brasil falou sobre pontos da Conferência de Cairo (Reprodução/Youtube)

Na ocasião, foram lançados os relatórios de monitoramento sobre os 25 anos da Conferência Internacional sobre População e Desenvolvimento, realizada em Cairo, e IV Conferência Mundial sobre a Mulher, realizada em Beijing

Por Giselle Cintra

A Rede Brasileira de População e Desenvolvimento (REBRAPD) realizou na última semana o colóquio Direitos Humanos hoje: as agendas globais das Conferências de Cairo, Beijing e Durban no Brasil​. O evento marcou o lançamento do Relatório Brasil sobre os 25 anos da Conferência Internacional de População e Desenvolvimento (Cairo)​ e do Relatório Brasil sobre os 25 anos da IV Conferência Mundial sobre a Mulher (Beijing).

De acordo com Richarlls Martins, coordenador da REBRAPD e professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro(UFRJ), afirma que os relatórios “compõem um conjunto de experiências de avaliação qualitativa sobre a incidência da sociedade civil brasileira. É muito significativo porque auxiliará no monitoramento da implementação dessas agendas”.


Richarlls Martins, coordenador da REBRAPD, fez a abertura do colóquio (Reprodução/Youtube)

As Conferências de Cairo e Beijing foram marcos importantes na agenda da saúde sexual e reprodutiva e direitos para mulheres e meninas de todo o mundo. Para Astrid Bant, Representante do UNFPA no Brasil, além dos marcos históricos, “é importante pensar na elaboração de políticas públicas específicas reconhecendo a diversidade de meninas e mulheres, especialmente vulnerabilidades raciais e étnicas e também outras, como vulnerabilidades e discriminações relacionadas às pessoas com deficiência”.

Assim como a Relatório Brasil, também foi lançado neste dia 1º/04, a plataforma de monitoramento Durban +20 Brasil que apresenta como objetivo uma maior participação da sociedade civil brasileira, especialmente dos movimentos negros na avaliação dos 20 anos da Conferência Mundial de Combate ao Racismo, Discriminação Racial, Xenofobia e Intolerâncias correlatas, realizada em Durban,​ em 2001. 

Próximos eventos

Para ampliar as discussões acerca do tema, entre 5 e 9 de abril, a REBRAPD, em parceria com a Cidadania, Estudo, Pesquisa, Informação e Ação (CEPIA), realizará consultas virtuais sobre a “Plataforma Durban+20 Brasil - Agenda 2030, interseccionalidade e desigualdades raciais". Esta ação tem o apoio financeiro da União Europeia, como parte da segunda seleção interna de projetos do Grupo de Trabalho da Sociedade Civil para a Agenda 2030. Os temas abordados serão: mulheres negras, população LGBTQIA+ negra, quilombolas, população negra e favelas; e juventude negra. A programação completa e inscrições estão abertas e podem ser feitas pelo link: http://bit.ly/Durban20Brasil.