Statement

Dia Internacional das Pessoas Idosas

11 Agosto 2016

Mensagem do Diretor Executivo do UNFPA, Dr. Babatunde Osotimehin, sobre o Dia Internacional das Pessoas Idosas

1 de outubro de 2014

Neste 24º Dia Internacional das Pessoas Idosas, o UNFPA, Fundo de População das Nações Unidas, se junta à celebração mundial da longevidade e reconhece as contribuições que as e os idosos fazem para suas famílias, comunidades e sociedades. Nós comemoramos o fato de que mais pessoas estão vivendo vidas mais longas e saudáveis​​. Isso é resultado dos avanços na medicina e de melhorias na nutrição, saneamento, cuidados de saúde, educação e bem-estar econômico.

O envelhecimento da população é um triunfo do desenvolvimento. Apoiar a plena participação das pessoas mais velhas traz enormes benefícios para todas as gerações. As oportunidades de novos ganhos sociais e econômicos são tão infinitas quanto as contribuições que uma população em processo de envelhecimento ativa, segura e saudável pode trazer para a sociedade.

O tema deste ano para essa data especial reflete princípio orientador do Secretário-Geral das Nações Unidas: não deixar ninguém para trás, promover uma sociedade para todas e todos. Com aproximadamente 12% da população mundial com idade de 60 anos ou mais, deixar as pessoas mais velhas para trás não é uma opção.

As necessidades e os direitos das pessoas idosas, bem como as questões do envelhecimento da população, devem ser incluídas na agenda de desenvolvimento pós-2015. Em 2030, haverá mais pessoas com idade acima de 60 anos do que crianças menores de 10; em 2050, a população mundial de idosos e idosas alcançará a marca de 2 bilhões de pessoas.

Não deixar ninguém para trás significa lidar com as desigualdades e garantir o acesso universal aos serviços sociais e à seguridade social. Garantir a igualdade de acesso a todos os segmentos da população, jovens e velhos, à educação, renda, saúde e serviços sociais básicos permite às pessoas viver decentemente no presente e se preparar para o futuro.

O UNFPA está empenhado em trabalhar com os Estados-Membros das Nações Unidas, o sistema das Nações Unidas e a sociedade civil para assegurar que as pessoas idosas não sejam deixadas para trás e possam desfrutar da saúde, aprendizagem e bem-estar ao longo de suas vidas. Estamos trabalhando para incluir as questões do envelhecimento na agenda de desenvolvimento pós-2015, nos marcos nacionais de desenvolvimento e estratégias de redução da pobreza, e para assegurar que as vozes das pessoas idosas sejam ouvidas.